Festa do Peão de Americana – Um sonho que se tornou realidade!

Com 33 anos de realização evento comprova que tradição e modernidade podem andar juntos

Uma festa que chega à sua 33ª edição por si só já é tradicional, no entanto, a Festa do Peão de Americana é bem mais que isto. Ela é única, porque mantém seus valores, no entanto, está longe de ser ultrapassada, pois está sempre se adaptando as novas realidades, se ajustando, trazendo inovações tecnológicas e as mais variadas novidades em todos os setores, tendo como principal objetivo manter e conquistar cada dia mais o público.

Idealizada a partir de um sonho, que nasceu durante as romarias e cavalgadas até Pirapora do Bom Jesus, o evento começou a sair do imaginário em 1981, quando Beto Lahr, fez o primeiro contato com o saudoso locutor Zé do Prato, considerado até hoje um dos maiores locutores do Brasil, inclusive sendo o autor do eterno bordão “Segura Peão”.

Apesar da aproximação, a concretização do evento só veio 6 anos depois, com auxílio de José Luiz Meneghel, o conhecido “Pé”, que intermediou a comunicação com o então prefeito Carroll Meneghel (in memorian), que ajudou na viabilização da primeira festa, realizada pelo Clube dos Cavaleiros de Americana (CCA), em 1987, na FIDAM (Feira Industrial de Americana).

Neste espaço, o evento foi realizado por 11 anos, até o momento em que a Feira, se tornou pequena demais para o tamanho do público que prestigiava a festa. Sendo assim, em 2000, o início do novo milênio foi marcado por uma das maiores conquistas do Clube dos Cavaleiros: a inauguração de seu recinto próprio – de mais de 1 milhão de metros quadrados, sendo 40 mil cobertos – espaço onde estão até hoje e que atualmente também é palco de outras iniciativas privadas e públicas.

Olhando para o passado e voltando os olhos para a primeira edição da Festa do Peão, realizada em quatro dias, com direito a montarias e shows de artistas populares, a conclusão é de que apesar da duração e das proporções infinitamente maiores que o evento ganhou ao longo dos anos, inclusive se consolidando como um dois maiores e mais importantes rodeios do Brasil, a alegria de poder fazer este grandioso evento acontecer, ainda motiva a organização.

Mantendo as raízes sem perder o espírito inovador, a cada ano que passa a Festa do Peão comprova que tradição e modernidade não só podem caminhar juntas, como podem seguir de mãos dadas.

Baseados nos fatos de que a Festa do Peão leva o nome de Americana nacional e internacionalmente, movimenta a economia, promove a criação de milhares de empregos diretos e indiretos (só em 2019 serão 6 mil pessoas empregadas de forma direta), além de constantemente realizar ações de interesses da comunidade, como:

  •  Parceria com o Fundo Social de Solidariedade;
  •  Coleta de lixo e reciclados feita por Cooperativas;
  • Ações em benefício ao Hospital de Câncer de Barretos, entre tantas outras.

Em 2017, a Festa do Peão foi declarada Patrimônio de Natureza Imaterial, uma justa homenagem por tudo que o evento representa na história da cidade e porque não dizer, de todo país, que é apaixonado pela cultura sertaneja, uma bandeira que o Clube dos Cavaleiros sempre conduziu de forma corajosa, desbravadora e principalmente, com muito amor e dedicação.  


Comentários

Nenhum comentário nesse post, seja o primeiro a comentar.

Deixar um comentário

*Seu email não será publicado